11/02/2008

Poesia popular

Esta é uma obra prima da poesia brasileira. Composta por uma aluna do Colégio Bom Conselho (Fortaleza-CE). Recebi por e-mail.

Pássaro de rico é canário,
Pássaro de pobre é urubu,
Rabo de rico é ânus,
Rabo de pobre é cu.

Moça rica é bacana,
Moça pobre é xereta,
A periquita da rica é vagina,
A da pobre é buceta.

Rico correndo é atleta,
Pobre correndo é ladrão,
Ovo do rico é testículo,
E do pobre é culhão.

Esperança do rico vem,
A do pobre já se foi,
Filha do rico menstrua,
A do pobre fica de boi.

O rico usa bengala,
O pobre usa muleta,
O rico se masturba,
O pobre bate punheta.

Mas a vida é assim mesmo,
Seja no norte ou no sul,
O rico toma champanhe,
O pobre toma no cu.

Um comentário: